Home Tratamentos Tratamentos Corporais Radiofrequência corporal

Radiofrequência corporal

Radiofrecuencia corporal

Reduz a celulite e melhora a elasticidade da pele.

O que é? Para que está indicada?

Com mudanças de peso, hormonais, tempo, má alimentação… aparece a pele casca de laranja e flacidez muito difícil de eliminar em zonas localizadas, a radiofrequência, está indicada para melhorar e evitar este tipo de problemas estéticos.

Em que consiste? O que o paciente sente?

É uma técnica não cirúrgica, não agressiva e sem efeitos secundários.

Consiste na aplicação de ondas eletromagnéticas que provocam um calor intradérmico e estimulam os fibroblastos, melhorando a circulação sanguínea, conseguindo a regeneração de colagénio e melhorando os tecidos e elasticidade da pele. Permite o alcance às camadas mais profundas da pele sem danificar a derme.

O paciente sente um calor agradável e manobras de massagem.

Antes de começar. Recomendações

Ter a pele bem hidrata e ter utilizado um produto específico para o tratamento.

Seguir as recomendações indicadas pelo profissional.

Evitar exposição ao sol, utilizar proteção solar alta.

Resultados

A partir da primeira sessão, notam-se resultados imediatos: uma pele mais firme, lisa, hidratada, melhorando a pele casca de laranja.

Os resultados vão melhorando à medida que o tratamento vai avançando. No primeiro dia consegue-se um efeito flash. No entanto, o verdadeiro resultado sente-se ao fim de 28 ou 29 dias, quando o colagénio já conseguiu uma maior ativação.

Depois do tratamento

Continuar com as indicações do profissional.

Não fazer exfoliação, nem utilizar produtos ácidos.

Evitar exposição ao sol, utilizar proteção solar alta.

Beber água, exercício, dieta equilibrada e usar cosméticos indicados para o tratamento.

Contraindicações

A radio frequência não é recomendada para pessoas com flebite, tromboflebite, veias varicosas, arteriosclerose, diabetes com microangiopastia, insuficiência hepática e renal, cirrose hepática, lesões cutâneas, dermopatias, processos inflamatórios graves (tuberculose, VIH, neoplásticos).

Mulheres grávidas ou em período de lactação ou pessoas que usem pacemaker ou próteses articulares.

Compartilhe este tratamento

Utilizamos cookies próprias e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar-lhe publicidade relacionada com suas preferências mediante a análise de seus hábitos de navegação. Se contínua navegando, consideramos que aceita seu uso. Pode obter mais informação. aquí.